#eventos #surf #profissional #notícias #competições 
Brasil

Oito brasileiros vão disputar as oitavas de final do Haleiwa Challenger no Havaí

João Carvalho - WSL

HALEIWA BEACH, Oahu, Havaí / EUA (Segunda-feira, 29 de novembro) - Após um fim de semana de folga por falta de boas ondas, um novo swell chegou na segunda-feira com séries de 4-6 pés para o segundo dia de competição no Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger no Havaí. Foram disputadas a primeira fase feminina e as oito baterias restantes da segunda fase masculina, com cinco brasileiros passando suas baterias. Eles se juntaram aos três que já tinham se classificado para as oitavas de final do evento que fecha a lista dos doze indicados pelo ranking do Challenger Series, para a elite do WSL Championship Tour 2022. A batalha prossegue nesta terça-feira, com a primeira chamada marcada para as 7h30 no Havaí, 14h30 no Brasil, ao vivo pelo WorldSurfLeague.com.

A segunda-feira começou com o peruano Alonso Correa sendo eliminado junto com outro concorrente pelas últimas vagas, o americano Cole Houshmand. Já a segunda bateria deu dobradinha brasileira de Alex Ribeiro Wiggolly Dantas, sobre o americano Kade Matson e o havaiano Imaikalani Devault, que ocupava a quarta posição no ranking do Challenger Series. Com a classificação, Alex Ribeiro saltou do 32.o para o 21.o lugar, empatado com Thiago Camarão. Os dois e Samuel Pupo, que acabou saindo do G-12 na segunda-feira, são os brasileiros que estão mais próximos da zona de classificação para o CT 2022. 

“Estava bem complicado o mar lá fora. O swell virou mais para norte e as ondas estão fechando rápido, mas tive a sorte de achar uma boa que rendeu uma nota 6 e aí fiquei mais relaxado pra procurar por outra de backup”, disse Alex Ribeiro, que comentou sobre a batalha pelas últimas vagas para o CT. “Eu tento não colocar pressão sobre mim mesmo. Não quero ficar estressado e prefiro focar em surfar boas ondas bateria por bateria. Se conseguir a vaga para o CT, vou ficar feliz. Mas, se não der, tento de novo no ano que vem”.

Alex Ribeiro (Crédito: @WSL / Tony Heff)

Alex Ribeiro foi um dos 11 titulares da “seleção brasileira” do CT 2021, que ficaram de fora do grupo dos 20 primeiros no ranking, mantidos na elite para o ano que vem. Os outros foram o contundido Peterson Crisanto e Caio Ibelli, que também passou para as oitavas de final na segunda-feira. Alex e Caio podem confirmar suas permanências na mesma temporada, com a implantação do WSL Challenger Series como novo campo de batalha por vagas para o CT.

Os três brasileiros mais próximos do G-12, após os resultados da segunda-feira no Havaí, são Samuel Pupo, que caiu do 15.o para o 16.o lugar, Alex Ribeiro e Thiago Camarão empatados em 21.o. Eles estão na mesma situação e precisam chegar nas quartas de final para superar os 10.300 pontos do novo último colocado na lista, Jordan Lawler (AUS). Os três atingirão 10.400 pontos se conseguirem, mas terão que chegar nas semifinais para ultrapassar os dois integrantes do G-12 já eliminados, Jackson Baker (AUS) e Carlos Muñoz (CRI). 

VITÓRIAS BRASILEIRAS – Eles têm que repetir o bom desempenho dos brasileiros na segunda-feira, que venceram todas as quatro baterias que participaram. Depois da dobradinha de Alex Ribeiro e Wiggolly Dantas, mais três paulistas estrearam com vitórias no Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger, Samuel Pupo, Caio Ibelli e o top do CT já garantido no CT 2022, Deivid Silva. Wiggolly e Jessé Mendes tentam retornar a elite e a condição mínima para isso é chegar nas semifinais em Haleiwa. Já Caio Ibelli tem que ser vice-campeão ou vencer esta última etapa do WSL Challenger Series 2021.

Samuel Pupo estreou com vitória mas saiu do G-12 (Crédito: @WSL / Brent Bielmann)

Samuel Pupo era para estrear junto com Kelly Slater, mas o maior ídolo do esporte não compareceu e foi substituído pelo jovem havaiano Luke Swanson. Samuca defendia a última posição no G-12 e venceu a bateria acertando belos laybacks nas direitas de Haleiwa. A bateria terminou com ele e Swanson empatados com 11,47 pontos nas duas notas computadas. Os dois eliminaram o sul-africano Shane Sykes e o francês Maxime Huscenot.

“É sempre um alívio passar pela primeira bateria. Estou tentando não ficar pensando muito sobre as situações de qualificação para o CT e apenas concentrar no meu surfe, então foi bom avançar”, disse Samuel Pupo. “As condições estão bem difíceis lá fora. Eu cometi um erro grave logo no início da bateria, pegando a primeira onda da série, que acabou sendo terrível e as três seguintes foram muito melhores. Fiquei irado e decidi não fazer mais isso. Mas, depois consegui pegar duas ondas boas e estou feliz por ter vencido a bateria”.

FORA DO G-12 – Apesar da classificação, Samuel Pupo poderia ser ultrapassado por três surfistas na segunda-feira. Isso porque está trocando 2.500 pontos nessa etapa, enquanto os descartes dos outros são mais baixos. Cada atleta, computa três resultados no ranking e Samuca só trocará o seu pior nas quartas de final do Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger. O japonês Shun Murakami era o primeiro que poderia ultrapassá-lo, mas perdeu e saiu da briga.

Deivid Silva já garantido no CT 2022 (Crédito: @WSL / Tony Heff)

O australiano Jordan Lawler era o segundo e estreou contra dois brasileiros. Deivid Silva dominou a bateria e Alejo Muniz estava passando junto com ele, mas o australiano lhe tirou o segundo lugar no final. Com a passagem para as oitavas de final, Jordan Lawler trocou os 1.000 pontos do seu pior resultado por 1.800 e aumentou sua somatória no ranking para 10.300, enquanto Samuel Pupo permaneceu com 9.500 pontos. 

A outra bateria brasileira na segunda-feira foi do Caio Ibelli, que também estreou com vitória, eliminando um integrante do G-12, Carlos Muñoz. O surfista da Costa Rica é o antepenúltimo na lista e agora fica na torcida para não ser ultrapassado pelos vários concorrentes com chances matemáticas de entrar na zona de classificação para o CT 2022. Caio é um deles, mas já precisa ser vice-campeão em Haleiwa para superar os 10.650 pontos de Carlos Muñoz. 

OITAVAS DE FINAL – Caio Ibelli acabou completando um confronto com participação tripla do Brasil nas oitavas de final do Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger. Ele e os também paulistas Samuel Pupo e Wiggolly Dantas, vão disputar duas vagas para as quartas de final na sexta bateria, completada pelo australiano Kalani Ball. O primeiro a competir será Jessé Mendes, que está na terceira bateria com o bicampeão mundial John John Florence e os australianos Jack Freestone e Jacob Willcox.

Caio Ibelli ainda com chances de vaga no CT 2022 (Crédito: @WSL / Brent Bielmann)

Na disputa seguinte, entram dois brasileiros, João Chianca defendendo vaga no G-12Thiago Camarão tentando entrar no CT 2022, junto com um top da elite, Jack Robinson, da Austrália, e o havaiano Shion Crawford. Na quinta bateria, tem Alex Ribeiro com o americano Griffin Colapinto, o neozelandês Billy Stairmand e o havaiano Luke Swanson. A sexta é a da participação tripla do Brasil e Deivid Silva fecha as oitavas de final, com o japonês Kanoa Igarashi, o australiano Connor O´Leary e o português Vasco Ribeiro.

INÍCIO DO FEMININO – Depois de fechar a segunda fase masculina, foi realizada a primeira fase feminina do Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger. Duas surfistas da América do Sul estrearam na segunda-feira. A peruana Daniella Rosas entrou na sexta das oito baterias e estava se classificando até os minutos finais, quando foi ultrapassada pela portuguesa Teresa Bonvalot e terminou em 33.o lugar no evento. A vencedora foi a japonesa Sara Wakita, com a maior nota do dia entre as meninas, 7,83.

A brasileira Summer Macedo competiu na última do dia e a havaiana Bettylou Sakura Johnson fez os recordes femininos em Haleiwa. Ela igualou a nota 7,83 da japonesa e somou um 8,77 para vencer por 16,60 pontos. Summer avançou em segundo com 11,30, contra 10,27 da australiana Sophie McCulloch e 6,93 da espanhola Janire Gonzalez Etxabarri. Com isso, duas brasileiras vão competir nas oitavas de final do Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger.

A vice-campeã mundial Tatiana Weston-Webb é uma das 16 cabeças de chave que entrarão na segunda fase, já disputando vagas nas quartas de final desta última etapa da temporada 2021 no Havaí. Tatiana está na quinta bateria, com a australiana Molly Picklum, a havaiana Savanna Stone e a portuguesa Teresa Bonvalot. Summer foi para a sétima junto com a sul-africana Sarah Baum. Elas vão enfrentar duas concorrentes pelas seis vagas para o CT 2022, a australiana Macy Callaghan e a norte-americana Sawyer Lindblad.

Arena do Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Beach no Havaí (Crédito: @WSL / Brent Bielmann)

O Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger tem prazo até o dia 07 de dezembro para fechar o WSL Challenger Series 2021 e as listas dos 12 homens e das 6 mulheres que vão completar a elite que disputará os títulos mundiais de 2022 no World Surf League Championship Tour. O evento está sendo transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e a primeira chamada da terça-feira será as 7h30 no Havaí, 14h30 no fuso horário de Brasília.

PRÓXIMAS BATERIAS DO HALEIWA CHALLENGER:

OITAVAS DE FINAL – 3.o=17.o lugar (US$ 2.400 e 2.200 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 1.900 e 1.8000 pts):

1.a: Conner Coffin (EUA), Seth Moniz (HAV), Jake Marshall (EUA), Matthew McGillivray (AFR)

2.a: Ezekiel Lau (HAV), Callum Robson (AUS), Charly Quivront (FRA), Crosby Colapinto (EUA)

3.a: John John Florence (HAV), Jack Freestone (AUS), Jessé Mendes (BRA), Jacob Willcox (AUS)

4.a: Jack Robinson (AUS), João Chianca (BRA), Thiago Camarão (BRA), Shion Crawford (HAV)

5.a: Griffin Colapinto (EUA), Alex Ribeiro (BRA), Billy Stairmand (NZL), Luke Swanson (HAV)

6.a: Caio Ibelli (BRA), Samuel Pupo (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Kalani Ball (AUS)

7.a: Liam O´Brien (AUS), Jordan Lawler (AUS), Ian Gentil (HAV), Cody Young (HAV)

8.a: Kanoa Igarashi (JPN), Deivid Silva (BRA), Connor O´Leary (AUS), Vasco Ribeiro (PRT)

OITAVAS DE FINAL – entrada das 16 cabeças de chave:

-----3.a=17.o lugar (US$ 2.400 e 2.200 pts) e 4.a=25.o (US$ 1.900 e 1.800 pts)

1.a: Carissa Moore (HAV), Alyssa Spencer (EUA), Pauline Ado (FRA), Zoe McDougall (HAV)

2.a: Gabriela Bryan (HAV), Caitlin Simmers (EUA), Yolanda Hopkins (PRT), Brianna Cope (HAV)

3.a: Brisa Hennessy (CRI), Vahine Fierro (FRA), Philippa Anderson (AUS), Tia Blanco (EUA)

4.a: Sage Erickson (EUA), Luana C. Silva (HAV), Leticia C. Bilbao (ESP), Dimity Stoyle (AUS)

5.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Molly Picklum (AUS), Savanna Stone (HAV), Teresa Bonvalot (PRT)

6.a: Lakey Peterson (EUA), India Robinson (AUS), Sara Wakita (JPN), Minami Nonaka (JPN)

7.a: Macy Callaghan (AUS), Sawyer Lindblad (EUA), Sarah Baum (AFR), Summer Macedo (BRA)

8.a: Caroline Marks (EUA), Coco Ho (HAV), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Amuro Tsuzuki (JPN)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NA SEGUNDA-FEIRA:

PRIMEIRA FASE FEMININA – 1.a e 2.a=Oitavas de final

----3.a=33.o lugar (US$ 1.200 e 700 pts) e 4.a=41.o (US$ 1.125 e 650 pts):

6.a: 1-Sara Wakita (JPN), 2-Teresa Bonvalot (PRT), 3-Daniella Rosas (PER), 4-Samantha Sibley (EUA)

8.a: 1-Bettylou Sakura Johnson (HAV), 2-Summer Macedo (BRA), 3-Sophie McCulloch (AUS), 4-Janire Gonzalez Etxabarri (ESP)

SEGUNDA FASE MASCULINA – 1.o e 2.o=Oitavas de Final

----3.o=33.o lugar (US$ 1.200 e 700 pts) e 4.o=49.o (US$ 750 e 600 pts):

9.a: 1-Griffin Colapinto (EUA), 2-Kalani Ball (AUS), 3-Cole Houshmand (EUA), 4-Alonso Correa (PER)

10: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Kade Matson (EUA), 4-Imaikalani Devault (HAV)

11: 1-Samuel Pupo (BRA), 2-Luke Swanson (HAV), 3-Shane Sykes (AFR), 4-Maxime Huscenot (FRA)

12: 1-Caio Ibelli (BRA), 2-Billy Stairmand (NZL), 3-Cam Richards (EUA), 4-Carlos Munoz (CRI)

15: 1-Deivid Silva (BRA), 2-Jordan Lawler (AUS), 3-Alejo Muniz (BRA), 4-Kauli Vaast (FRA)

--------resultados da sexta-feira:

4.a: 1-Callum Robson (AUS), 2-Matthew McGillivray (AFR), 3-Edgard Groggia (BRA), 4-Keanu Asing (HAV)

5.a: 1-John John Florence (HAV), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Sheldon Simkus (AUS), 4-Mateus Herdy (BRA)

6.a: 1-Jessé Mendes (BRA), 2-João Chianca (BRA), 3-Joshua Burke (BRB), 4-Wade Carmichael (AUS)

7.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Jacob Willcox (AUS), 3-Lucas Silveira (BRA), 4-Aritz Aranburu (ESP)

8.a: 1-Shion Crawford (HAV), 2-Jack Freestone (AUS), 3-Lucca Mesinas (PER), 4-Jorgann Couzinet (FRA)

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias