#atletas #competições #eventos #notícias #surf 
Brasil

Na Mole e em Itaúna, Wesley Leite soma pontos importantes e se posiciona bem no ranking sul-americano do QS.

Luciane de Castro

Com o trabalho focado para o Challenger de 2022, Xapa fatura a 9ª e a 5ª colocação no Layback Pro em Floripa e no Saquarema Surf Festival, respectivamente.

De volta ao lar e com a vibe lá no alto. Assim Wesley Leite retornou das duas etapas brasileiras do QS3000. E não é para menos. Mesmo sem o pódio, o atleta local da praia Vermelha do Norte em Ubatuba, desempenhou bonito e garantiu a 9ª posição no Layback Pro Billabong na Praia Mole e a 5ª posição no Saquarema Surf Festival Quicksilver Pro QS na praia de Itaúna.

Sem fazer alarde e trabalhando com equipe multidisciplinar há dois meses, o Xapa mostrou um surf fluido e potente, evolução atribuída ao conjunto das mudanças no trabalho e na prancha. “A mudança na prancha foi fundamental para a performance nas duas etapas. O aperfeiçoamento da prancha aliado aos treinos específicos fora da água, foram os responsáveis por esse melhor desempenho.”

Das etapas de Montañita e Salinas para cá, além dos ajustes na prancha e na equipe, o modo de encarar uma competição também mudou, o que ficou visível no surf apresentado. “A vibe foi incrível. Optamos por trabalhar de um modo mais leve, curtindo mais a viagem e deixando a mente fluir para a competição, sem bitolar. O resultado foi ótimo. Claro que buscávamos a vitória, mas entre mais de 140 atletas na Mole e mais de 120 em Itaúna, ficar com 9º e o 5º lugar foi muito bom.”

Para o Xapa, as duas etapas apresentaram boas condições de ondas, mesmo encontrando um pouco de dificuldade na Mole, em razão do vento.

Sobre o formato do QS, considera um ajuste importante que possibilita que atletas sem patrocínio viajem para competir. “Facilitou muito para atletas com poucos recursos. Viajar pela América do Sul é mais viável do que viajar para outros continentes em busca dos pontos necessários para o avanço na Liga. Regionalizar o QS foi um dos pontos positivos do novo formato.”

Após as duas etapas, Wesley Leite se estabeleceu na 7ª posição no ranking do QS sul-americano e guarda grandes expectativas para as etapas previstas em 2022. O objetivo é o Challenger. “Voltei após um mês fora de casa, mas os treinos seguem fortes para melhorar o desempenho e os resultados. Melhorando os resultados é possível pontuar para ficar entre os 10 do ranking e chegar ao Challenger no ano que vem.”

Comentários

Galerias | Mais Galerias